D. Branca

Infanta de Portugal, filha de D. Afonso III e de D. Beatriz, esta infanta nasceu em 1259.
Em 1278 tornou-se senhora do mosteiro do Lorvão, tendo ingressado no mesmo. Passados onze anos acompanhou a sua mãe a Castela, não voltando a Portugal.
Tornou-se senhora do mosteiro das Huelgas, perto de Burgos, pelas obras significativas que aí mandou fazer, assim como na igreja de Santo Agostinho de Burgos. Estas obras foram feitas como agradecimento pela cura de uma doença que afetou a infanta, tendo esta suplicado a intercessão do Senhor Jesus, muito cultuado naqueles sítios. Diz-se que nasceu um filho de uma ligação da infanta com Pero Esteves, um carpinteiro. Este filho seria o 18.º Mestre da Ordem de Calatrava, João Nunes do Prado.
Consta também que D. Branca incumbiu a escrita do Livro das Batalhas de Deus a um judeu convertido ao cristianismo, o rabi Abner.
D. Branca acabou por falecer no mosteiro das Huelgas, em 1321.
Como referenciar: D. Branca in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-24 03:40:41]. Disponível na Internet: