D. Isabel (1432-1455)

Era filha do duque de Coimbra, o infante D. Pedro, e de D. Isabel de Urgel. Nasceu por volta de 1432, em Coimbra. O seu pai foi morto na batalha de Alfarrobeira pelo primo e futuro marido de D. Isabel, D. Afonso V. Este triste facto não foi no entanto entrave à influência que D. Isabel teve sobre o seu marido, tanto no campo da política como no dos sentimentos mais íntimos. O casamento efetuou-se a 6 de maio de 1448, nascendo dele o infante D. João (a 29 de janeiro de 1451), que morreu em criança e foi sepultado no Mosteiro da Batalha, a princesa Santa Joana (a 6 de fevereiro de 1452), que se tornou religiosa dominicana no mosteiro de Jesus de Aveiro, onde foi sepultada depois de morrer a 12 de maio de 1490, e o futuro rei D. João II, nascido em Lisboa a 3 de março de 1455 e falecido em Alvor a 25 de outubro de 1495.
Após muitas instâncias, a rainha conseguiu fazer com que o seu pai fosse sepultado no Mosteiro da Batalha, em 1455.
A 2 de dezembro do mesmo ano morreu em Évora esta rainha, tendo sido sepultada no Mosteiro da Batalha. Ficou conhecida para a posteridade pela sua vida triste, cujo maior desgosto foi o causado pela morte do pai.
O seu irmão D. Pedro escreveu uma obra chamada Tragedia de la insignae Reyna Doña Isabel cujo enredo reflete a vida de D. Isabel.
Como referenciar: D. Isabel (1432-1455) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-19 11:30:23]. Disponível na Internet: