Damon Hill

Piloto inglês de automóveis nascido a 17 de setembro de 1960, em Hampstead, na Inglaterra, sendo filho de Graham Hill, campeão do Mundo de Fórmula 1 em 1962.
Apesar de ser filho de um consagrado piloto de automóveis, o jovem Hill, inicialmente, optou por correr em motos. Só aos 22 anos se dedicou ao automobilismo, mas sem grandes resultados na disciplina que escolheu, a Fórmula Ford. Mesmo assim, em 1986 subiu de escalão e passou a competir na Fórmula 3. No ano seguinte, era já um dos melhores pilotos desta categoria, mas voltou a ter uma má temporada em 1988. Em 1989, subiu mais um escalão e ingressou na Fórmula 3000, mas a falta de verbas impediu que tivesse um carro competitivo. Em 1990 e 1991 conseguiu finalmente provar o seu valor como piloto, apesar de ter sido prejudicado por muitos problemas mecânicos. De qualquer forma, neste último ano conseguiu um contrato como piloto de testes de Fórmula 1 na equipa Williams, onde voltou a provar ser um piloto rápido.
Em 1992, já com 31 anos, estreou-se finalmente na Fórmula 1 como piloto de corrida, mas numa equipa em decadência, a Brabham. Com um carro pouco eficiente, só raramente conseguiu qualificar-se para as provas. Em 1993, Damon Hill conseguiu um lugar numa equipa de topo, a Williams, depois do piloto desta, Nigel Mansell, ter trocado a Fórmula 1 pela Fórmula Cart norte-americana.
Hill, que fez dupla com o francês Alain Prost, venceu três grandes prémios (Hungria, Bélgica e Itália) e terminou o campeonato num excelente terceiro lugar.
Na temporada seguinte, passou a ter como companheiro de equipa o brasileiro Ayrton Senna. No entanto, este morreu num acidente no Grande Prémio de Imola, deixando Hill como o piloto principal da Williams. Nesse ano, travou um árduo duelo com o alemão Michael Schumacher, da Benetton, e perdeu o campeonato por apenas um ponto. Na última corrida do ano, disputada na Austrália, envolveu-se num polémico acidente com Schumacher e foi forçado a desistir.
Em 1995 começou bem a temporada, mas depois de uma série de acidentes foi de novo batido por Schumacher na corrida ao título. No entanto, já na parte final da época recuperou a confiança e ganhou o último grande prémio, o de Adelaide, na Austrália.
Finalmente, em 1996, já com 36 anos, conquistou o título de campeão do mundo de Fórmula 1, 34 anos depois do seu pai ter feito o mesmo. Nessa temporada, Hill, ainda ao serviço da Williams, venceu oito das dezasseis provas disputadas.
Curiosamente, nem assim Damon Hill conseguiu manter o seu lugar na Williams, que já em 1995 decidira que o iria trocar por outro piloto. O novo campeão do mundo, em 1997, teve de correr numa formação de segundo plano, a Arrows, onde pouco de positivo alcançou.
O panorama melhorou em 1998 ao ingressar na Jordan e, nesse ano, venceu o Grande Prémio de Spa, na Bélgica. Tratou-se da primeira vitória de um carro Jordan na Fórmula 1. Em 1999, já bastante desmotivado, fez uma época dececionante, optando por se retirar da competição no final desse ano.
Como referenciar: Damon Hill in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-25 08:44:21]. Disponível na Internet: