Dan Franck

Escritor francês nascido a 17 de outubro de 1952, em Paris, saiu aos 17 anos de casa para tentar viver sozinho, inspirado pelo que presenciou no maio de 68. Para ganhar a vida chegou a vender quadros de alguns amigos pintores e estudou Sociologia na Universidade da Sorbonne, em Paris.
Em 1980 lançou o seu romance de estreia, Les Calendes Grecques, que ganhou em França o Prémio de Primeiro Romance. Cinco anos mais tarde, em colaboração com Jean Vautrin, lança a série de livros Boro, que chegou aos cinco volumes, onde relata a história de um repórter fotográfico.
Em 1991 ganhou o Prémio Renaudot, um dos galardões literários mais conceituados de França, graças ao romance La Séparation (A Separação), onde abordava o divórcio. O livro conheceu um grande sucesso internacional, tendo sido traduzido para 17 línguas, inclusive em Portugal. A obra foi adaptada ao cinema, num filme com o mesmo título que teve como intérpretes Isabelle Huppert e Daniel Auteuil. O filme, de 1994, foi realizado por Christian Vincent. Mais tarde, em 1998, Franck lançou Nu Couché (O Nu Deitado), seguido, em 1999, de Bohèmes.
Em 2000 lançou em parceria com Enki Bilal Un Siécle d'Amour, escrevendo assim pela primeira vez um argumento de um álbum de banda desenhada.
Em 2005 saiu em Portugal o romance Les Enfants (Os Filhos), editado em França em 2003, que cerca de doze anos depois de La Séparation (A Separação) foi apresentado como o romance das famílias reconstituídas. Nesta obra, um casal de divorciados resolve juntar-se levando cada um para a nova casa os respetivos filhos. Este romance também resultou num filme, de 2005, igualmente realizado por Christian Vincent.
Entretanto, o escritor em 2004 havia lançado Libertad! um ensaio sobre a Guerra Civil de Espanha.
Dan Franck também trabalhou regularmente para televisão e cinema tendo escrito os argumentos do filme Tykho Moon, de Enki Bilal, em 1996, e dos telefilmes Berlin Lady, Les Parents Modèles, Jean Moulin e Simon le Juste. Jean Moulin, realizado por Yves Boisset, ganhou o prémio de melhor argumento de filme de televisão de 2002.
Como ator, teve pequenos papéis nos filmes Paddy, En Compagnie d'Antonin Artaud e Toujors Seuls.
Como referenciar: Dan Franck in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-09 16:12:03]. Disponível na Internet: