denotação

Termo utilizado numa aceção lógico-filosófica e linguística. Num sentido geral, denotação reporta-se a um sistema primeiro de significação de um signo, isto é, o sentido literal das palavras, opondo-se assim a conotação, que corresponde a um nível secundário de significação.
Numa perspetiva lógico-filosófica, a denotação é compreendida como extensão, e a conotação é vista como sinónimo de compreensão. Na lógica contemporânea, considera-se a denotação um objeto da semântica ou, de acordo com Quine, da teoria da referência. De acordo com ela, Bertrand Russell apresenta trabalhos importantes sobre a denotação, admitindo a relação da denotação como uma espécie ou modo de relação de referência. Assim, a denotação é descrita como a relação entre um termo singular ou designador (simples ou complexo) e o objeto ou item particular referido pelo termo (se existir o objeto).
Em linguística, a denotação consiste na correspondência entre o signo linguístico (a palavra) e o seu referente (o objeto). Assim, surge o sentido primeiro de uma palavra, tal como se apresenta no código da língua e se encontra definida pelo dicionário. Para Jakobson, a denotação equivale à função referencial da linguagem. A denotação é um conceito introduzido na linguística, por Bloomfield, em 1933; no entanto, é Hjelmslev que diferencia a linguagem denotativa da linguagem conotativa. Neste sentido, a denotação é considerada como a relação entre o significante e o significado, tendo-a denominado Hjelmslev como o plano da expressão e o plano do conteúdo, respetivamente.
Como referenciar: denotação in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-13 22:05:56]. Disponível na Internet: