derivação

A derivação é uma operação morfológica que permite formar novas palavras a partir de outras já existentes, embora formalmente relacionadas, podendo ou não haver alteração da categoria gramatical de base. Trata-se de um processo morfológico de ligação do radical da palavra a prefixos (ex: <infeliz>, <atemático>), a sufixos (ex: <disponibilizar>, <português>) ou a ambos os afixos, designando-se este processo por derivação parassintética (ex: <descascar>, <aterrar>).
De acordo com a categoria gramatical resultante do processo de derivação, conhecem-se os seguintes processos:

Nominalização: processo de formação de nomes através da junção de afixos (ex: <leitor> → <leitorado>); Verbalização: processo de formação de verbos através da junção de afixos (ex: <escravo> → <escravizar>);
Adjectivização: processo de formação de adjetivos através da junção de afixos (ex: <álcool> → <alcoólico>).

Ainda no âmbito da derivação, conhece-se o processos da derivação regressiva, que consiste numa nominalização de radicais verbais devido à supressão de afixos (ex: <acordar> → <acordo>; <chorar> → <choro>).
A derivação imprópria é outro processo que consiste numa mudança da categoria sintática da palavra sem alteração da sua forma (ex: <o jantar [Nome]> → <vou jantar [Verbo]>).
Como referenciar: derivação in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-06-02 00:06:38]. Disponível na Internet: