desportos de montanha

Os desportos de montanha têm vindo a ganhar popularidade nos últimos anos, em larga medida em consequência do tipo de vida (com muito pouco contacto com a natureza) que a maior parte das pessoas leva.

Neste grupo integram-se as seguintes modalidades:

Marcha - Atividade de lazer praticada em equipa. O objetivo é terminar um percurso pré-estabelecido, passando por diversos postos de controlo. Não existem vencedores; o importante é privilegiar a educação ambiental. Do equipamento fazem parte botas, ou sapatilhas de sola grossa, uma mochila para transportar a alimentação e um impermeável.
Orientação - Atividade individual, ou coletiva, de natureza competitiva. O participante, com o auxílio de uma carta e de uma bússola, procura encontrar, o mais rápido possível, os postos de controlo.

Escalada - Atividade que envolve certos riscos e, como tal, destinada a aventureiros. Permite um contacto único com a natureza, dado que alguns locais apenas são acessíveis ao ser humano se este tiver um conhecimento profundo das técnicas da escalada. Do equipamento fazem parte: cordas, mosquetões, descensores, baudrier e sapatilhas de escalada. O rappel é uma técnica auxiliar de descida. A escalada desportiva é a vertente competitiva desta modalidade e é praticada em paredes artificiais construídas para o efeito.

Bicicleta de montanha (BTT) - Atividade desportiva praticada com bicicletas preparadas para circular fora das pistas ou estradas. As provas podem ter uma componente cultural de contacto com a natureza ou uma vertente de competição. Destas últimas fazem parte as provas de Down hill, disputadas em zonas sinuosas e estreitas, de cross country e de bike trial, esta última com o objetivo de demonstração da perícia técnica e do equilíbrio dos concorrentes.
Como referenciar: desportos de montanha in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-20 12:09:09]. Disponível na Internet: