Diário de José Maria

Volume que reúne uma série de crónicas publicadas no Diário de Lisboa, assinadas com o pseudónimo de José Maria, personagem fictícia criada pelo autor, solitário professor de matemática e ciências, melómano e floricultor nas horas vagas, propenso à introspeção: "estou num destes momentos em que me apetece deixar desenrolar na memória o meu filme interior - a história da minha vida humilde que se aproxima do fim" (de "A senhora da frente"). A obra surge atravessada por uma nota melancólica, quase onírica ("Ao romper da alva", "Ao acender das luzes"), aqui e além sublinhada pelas referências constantes à música: "é que a música, para mim, é de essência divina. Só ela sabe dizer tudo aquilo para que a palavra humana é imperfeita" (de "Sobre a música em geral"). O tema que domina as reflexões do narrador é a fugacidade do tempo, manifesta na obsessão pelos motivos do outono, dos objetos carregados de memórias ("O velho álbum", "As duas primas"), da doença ("Uma angina com febre") e na recorrência de imagens fúnebres.
Como referenciar: Diário de José Maria in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-18 01:30:10]. Disponível na Internet: