Dinastia dos Capetos

Terceira dinastia de reis franceses, cujo nome deriva de Hugo Capeto, eleito rei em 987, por morte de Luís V, último monarca carolíngio.
O mais antigo antepassado dos Capetos foi o marquês de Nêustria, Roberto, "o Forte", contemporâneo de Carlos, "o Calvo". Dois de seus filhos, Eudes e Roberto, reinaram na França entre 888 e 923. Senhores de um pequeno domínio na região de Paris, começaram a sua pacificação em finais do século XI e meados da centúria seguinte. Anexaram depois parte dos feudos do reino, de forma que, em 1328, apenas não possuíam a Flandres, a Bretanha, a Aquitânia e a Borgonha.
Nesse ano, extingue-se a linha direta dos Capetos, com Carlos IV (1322-1328), passando o trono para as mãos dos Valois, que reinam desde 1328 até 1589, mais tarde substituídos pelos Bourbon (1589-1792). Após a Revolução Francesa, de 1814 a 1830, retomam o trono os Bourbon, extinguindo-se com a morte do duque de Chambord.
Os príncipes capetos reinaram também no ducado da Borgonha e sobre o império latino de Constantinopla, entre 1216 e 1261.
A origem do nome "capeto" permanece obscura e constitui alvo de várias teorias. Chegou inclusive a ter uma conotação injuriosa em certos períodos da história da França, como durante a Revolução Francesa.
Como referenciar: Dinastia dos Capetos in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-13 11:13:36]. Disponível na Internet: