Diogo Velho

Diogo Velho colabora com uma única composição no Cancioneiro Geral de Garcia de Resende, impresso em 1516. "Da caça que se caça em Portugal", o primeiro poema composto com o objetivo de celebrar os Descobrimentos, sem assumir propriamente uma dimensão épica, começa por enumerar as cidades, heróis e deuses da cultura clássica, que, mau grado os seus feitos, "non teverom tais lugares / nem tal graça especial"; descreve a afluência de produtos e gentes à corte; enaltece o esforço de evangelização; glorifica os governantes que impulsionaram a expansão, nomeadamente, D. Manuel; e culmina com o louvor de Cristo.
Como referenciar: Diogo Velho in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-08-12 10:39:13]. Disponível na Internet: