diplópodes

Os indivíduos da classe de Diplópodes são comummente denominados milípedes, o que estritamente significa "mil pés". Têm o corpo cilíndrico, formado por numerosos segmentos.
Na parede do corpo encontram-se sais calcários. Muitos são de cor brilhante. Na cabeça encontram-se dois olhos simples, um par de antenas curtas e um par de mandíbulas. O tórax é curto e constituído por quatro anéis ou segmentos independentes, tendo todos eles, exceto o primeiro, um par de patas. O abdómen é constituído por um número variável de anéis, de 9 a mais de 100, cada um com dois pares de espiráculos, ostíolos e gânglios nervosos e com dois pares de patas. A fecundação é interna e os ovos são depositados no solo húmido dentro de um invólucro de alimento regurgitado ou num ninho. Os indivíduos recém-nascidos só têm sete segmentos ou anéis e três pares de patas. Durante o crescimento, em mudas sucessivas, (algumas espécies atingem o número 10) vão-se juntando outros segmentos adiante do segmento anal. Vivem em lugares húmidos e escuros, debaixo das pedras ou dentro de troncos em decomposição e evitam a luz. Deslocam-se lentamente, com o corpo estendido e vão tateando o caminho com as antenas. As numerosas patas executam um movimento de onda detrás para diante. Na sua maioria são herbívoros, alimentando-se de plantas mortas, mas algumas vezes também comem plantas vivas.
Quando em perigo, muitos milípedes enrolam-se em forma de bola. As formas de corpo comprido enrolam-se em espiral. Muitos milípedes protegem-se da predação segregando fluidos tóxicos ou repelentes que normalmente contêm cianeto e iodo. Estes fluidos encontram-se em glândulas especiais situadas nos lados do corpo ou nos membros.
Os exemplos mais comuns desta classe são os do géneros Spirobolus e Julus, ambos com uma grande área de dispersão.
Como referenciar: Porto Editora – diplópodes na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-01-16 21:24:31]. Disponível em