Direito ao inédito

Direito de o autor da obra não dar a conhecer a sua obra. Se alguém, abusivamente, divulgar a obra, o seu autor tem direito a exigir a apreensão de todos os exemplares. Este direito transmite-se aos sucessores em relação às obras póstumas, exceto se o autor em vida manifestou o desejo de não serem publicadas ou divulgadas. Os manuscritos inéditos, esboços, desenhos, telas ou esculturas, quando incompletos, são isentos de penhora e arresto, salvo consentimento ou oferecimento do autor. Se, pelo contrário, o autor tiver revelado por atos inequívocos o seu propósito de divulgar ou publicar os citados trabalhos, pode o credor obter penhora ou arresto sobre o correspondente direito de autor (artigo 50 do CDADC).
Como referenciar: Direito ao inédito in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-16 21:53:16]. Disponível na Internet: