Djavan

Cantor e compositor brasileiro, Djavan Caetano Viana nasceu a 27 de janeiro de 1949, em Maceió, no estado brasileiro de Alagoas.
As suas influências começaram por vir da música tradicional nordestina. Aos 16 anos começou a tocar o violão por si próprio. Abandonou os estudos e formou o grupo LSD (Luz, Som, Dimensão), que tocava músicas dos Beatles em bares e praças da sua terra natal.
Em 1973, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde conheceu o locutor da Rádio Globo, Edson Mauro, que o apresentou a Adelzon Alves que, por sua vez, o apresentou ao produtor da editora Som Livre, João Mello. Um mês depois, foi contratado pela editora como cantor de composições para telenovelas. Neste âmbito, gravou os temas "Qual É" (para a telenovela Ossos do Barão), "Presunçosa" (Super Manuela), "Calmaria e Vendaval" (Fogo Sobre Terra) e "Alegre Menina" (Gabriela). Ao mesmo tempo, para ganhar mais algum dinheiro, trabalhava como cantor nas discotecas Number One e 706. Em 1975, participou no festival Abertura, da TV Globo, e conquistou o segundo lugar com o tema "Fato Consumado". O seu primeiro single foi editado alguns meses mais tarde e incluiu os temas "E Que Deus Ajude", "Um Dia", "Rei do Mar", para além do já conhecido "Fato Consumado". Estes temas fizeram parte do álbum de estreia, A Voz, o Violão e a Arte de Djavan (1976), que ainda incluiu um dos seus maiores clássicos e aquela que para muitos ficou como a sua mais importante canção: "Flor de Lis".
Os álbuns seguintes levaram o cantor ao topo da música brasileira: Djavan (1979), Alumbramento (1980) e Seduzir (1981, que incluiu os êxitos "Açaí" e "Faltando um Pedaço"). O ano de 1982, viu sair o álbum Luz, gravado nos Estados Unidos da América, e que teve como convidado especial Stevie Wonder no tema "Samurai". Em 1984, gravou Lilás, cujo tema-título se afirmou como um dos seus maiores sucessos. No mesmo ano, participou como ator no filme Para Viver Um Grande Amor, do realizador Miguel Faria Jr. Seguiram-se os álbuns Meu Lado (1986) e Não É Azul Mas É Mar (1987), que teve edição americana com o título Bird of Paradise (1988).
Em 1989, gravou com Paco de Lucia a canção "Oceano", que fez parte da banda sonora da telenovela Top Model.
Na década de 90, gravou os álbuns Coisa de Acender (1991, com a colaboração de Caetano Veloso em "Linha do Equador"), Novena (1994), Malásia (1996) e Bicho Solto (1998). Do trabalho Malásia fez parte o tema "Correnteza", composto por Tom Jobim e Luís Bonfá e incluído na banda sonora da telenovela O Rei do Gado. Em O Bicho Solto, Djavan regista uma viragem para sonoridades mais funk, destacando-se os temas "Eu Te Devoro" e o rap "A Carta", contando com a colaboração de Gabriel, o Pensador.
O final da década de 90 marcou a edição de Ao Vivo (1999), um duplo registo que vendeu mais de um milhão de cópias e foi considerado o disco do ano da Música Popular Brasileira. Em 2000 conquistou um prémio Grammy latino para Melhor Canção Brasileira com "Acelerou". Em julho do mesmo ano, efetuou uma mini-digressão de cinco concertos em Portugal, que incluíram as cidades de Lisboa, Porto, Santarém, Figueira da Foz e Guimarães.
Muitas das suas canções foram gravadas por artistas como Al Jarreau, Carmen McRae, Manhattan Transfer e por grandes artistas brasileiros como Gal Costa, Paralamas do Sucesso, Ed Motta, Dori Caymmi, Elba Ramalho, Zélia Duncan, Chico Buarque, Daniela Mercury, Ney Matogrosso, Caetano Veloso, Maria Bethânia, entre outros.
Em 2001, o cantor regressou às gravações de estúdio com o álbum Milagreiro, o primeiro disco de inéditos desde O Bicho Solto. Em simultâneo, esta edição comemorou os 25 anos de carreira do cantor. O disco foi integralmente gravado em estúdios que o músico montou em sua casa, contando com a colaboração dos músicos de sempre, Sérgio Carvalho (baixo) e Renato Fonseca (teclas) e dois dos seus quatro filhos, Max (guitarra) e João (bateria). Cássia Eller e o baixista Marcus Miller são convidados. O toque do disco é de sonoridade jazz, sugestivamente apelidada no Brasil de Djazz, em alusão à proximidade do cantor com esse estilo e a algumas pinceladas de bossa. Vaidade, um álbum no qual o intérprete procurou destacar mais a vertente musical, foi editado em 2004 e a sua primeira faixa, "Se Acontecer", foi um dos temas escolhidos para a banda sonora da telenovela brasileira Senhora do Destino.
Como referenciar: Djavan in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-16 03:23:41]. Disponível na Internet: