doenças infeciosas

O síndrome infecioso é uma reação do corpo à intrusão no organismo de agentes patogénicos vivos, como bactérias, vírus, fungos, protozoários (como, por exemplo, na malária) ou metazoários. Os efeitos negativos podem ser devidos à presença do próprio organismo ou a certas toxinas produzidas.
A este grupo de doenças pertencem as doenças exantematosas (produtoras de erupções), que se contraem sobretudo na infância, como o sarampo, a escarlatina, a rubéola, a varicela, etc. São também doenças infeciosas a difteria, a gripe, a coqueluche (tosse convulsa), a parotidite endémica e as doenças infecciosoas do tubo digestivo, tais como a desinteria e o tifo. Algumas atingem o sistema nervoso central. É o caso da meningite cerebrospinal e outras formas de meningite, a paralisia infantil, o tétano e a raiva.
Algumas doenças infeciosas ocorrem muito raramente. É o caso do carbúnculo, da febre tifoide, do tipo exantemático e das doenças infeciosas tropicais, como a malária, a febre amarela e a doença do sono. A presença de parasitas metazoários no organismo humano (ténias, ascáris, tricocéfalos, nematodos e oxiúres) é nociva por duas razões: o organismo é privado de uma parte do seu alimento e é invadido por substâncias tóxicas segregadas pelos parasitas.
Como último grupo de doenças desta categoria, devemos citar as intoxicações, que podem ser causadas por alimentos deteriorados, por medicamentos ou pela absorção de substâncias no exercício de uma profissão (chumbo, ácido carbónico e anilinas, etc.).
O seu efeito é determinado pela maneira como o veneno penetra no corpo (boca, vias respiratórias, pele, etc.), pela sua concentração e pela constituição da vítima. Na maior parte dos casos, a substância tóxica exerce os seus efeitos sobre o sistema nervoso, sangue e fígado. Em certos casos, as vias de entrada de substâncias tóxicas são também lesadas, como no caso de infeção gastro-intestinal, da bronquite e da dermatite (inflamação da pele).
As doenças infeciosas podem ser agudas, que de uma maneira geral aparecem bruscamente, e crónicas, estas persistindo por vezes durante muitos anos. O resulatado pode ser o restabelecimento total, uma lesão durável ou a morte.
O organismo combate as infeções de diversas maneiras. Os glóbulos brancos (leucócitos) são transportados pelo sangue ao local da infeção e fagocitam os organismos ou substâncias invasoras. Outro processo de reação é a formação de tecido fibroso ou a granulação dos tecidos, que formam uma barreira contra a expansão da infeção. O sucesso da defesa do organismo depende de vários fatores, tais como o número de organismos infetantes presentes e a sua virulência, a saúde geral do paciente e o número de leucócitos e gamaglobulinas disponíveis para a formação de anticorpos. Nos casos em que o número de leucócitos e a concentração de gamaglobulinas (fração proteica do soro) são baixos, a infeção progride.
Um outro fator que afeta a infeção é o tratamento médico com antibióticos ou sulfonamidas. Muitas infeções são grandemente alteradas pelo uso desta medicação, que termina com a infeção antes que as defesas do organismo sejam mobilizadas. Substâncias químicas utilizadas como medicamentos estão em geral disponíveis para atuar contra os organismos infetantes, exceto para os vírus.
Como referenciar: doenças infeciosas in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-03-18 23:24:06]. Disponível na Internet: