Dudley Moore

Ator e comediante britânico, Dudley Stuart John Moore nasceu a 19 de abril de 1935 na pequena aldeia de Dagenham, no condado de Essex. Estudou Música na Universidade de Oxford, tendo obtido o diploma em 1958. Pouco depois, formou um grupo musical de jazz, os Johnny Dankworth Seven, onde tocava piano. Em 1961, conheceu os atores Peter Cook, Alan Bennett e Jonathan Miller, com quem formou a trupe cómica Beyond the Fringe. Primeiramente em bares e pubs e em 1964 na televisão, o grupo conheceu grande popularidade pela sua irreverência humorística, tendo sido considerado o precursor dum género cómico que celebrizaria anos mais tarde os Monty Python. Estreou-se em cinema com The Wrong Box (A Fabulosa Troca de Caixões, 1966), secundando um elenco de luxo onde pontificavam nomes como Peter Sellers, Michael Caine, Ralph Richardson e John Mills. Seguiram-se comédias como Bedazzled (Brincadeiras do Diabo, 1968), The Bed Sitting Room (1968) e Monte Carlo or Bust! (1969). Depois de alguns papéis menores, regressou com uma falhada adaptação humorística de The Hound of the Baskervilles (O Cão dos Baskervilles, 1978), onde desempenhou três papéis. Apesar do fracasso comercial do filme, o realizador Blake Edwards gostou da sua versatilidade e convidou-o a substituir o ator George Segal na comédia Ten (10 - Uma Mulher de Sonho, 1979), onde desempenhou o papel de um compositor que, em plena crise de meia-idade, se apaixona loucamente por uma jovem modelo (Bo Derek) por quem se torna obcecado, apesar da oposição da sua mulher (Julie Andrews). O filme foi um sucesso nos EUA e lançou a carreira de Dudley Moore, que se tornou uma das estrelas mais bem pagas de Hollywood nos inícios da década de 80. Tal deveu-se ao êxito de Arthur (Artur, o Alegre Conquistador, 1981), onde personificou um milionário mimado que tem que optar por um casamento de conveniência com uma mulher rica (Jill Eikenberry) ou lutar pelo amor que nutre por uma mulher pobre (Liza Minnelli). O seu desempenho valeu-lhe uma nomeação para o Óscar de Melhor Ator. A partir daí, a sua estrela começou a empalidecer, acumulando numerosos insucessos comerciais, tanto em cinema com Six Weeks (1982), Micki and Maude (Micki & Maude, 1984) e Crazy People (1990), como em televisão, onde a sua sitcom Dudley (1993) não teve direito a mais do que seis episódios. A sua carreira nos anos 90 ressentiu-se muito com o alcoolismo e com problemas coronários, sendo, então, escassos os convites de trabalho. Foi convidado a protagonizar The Mirror Has Two Faces (As Duas Faces do Espelho, 1996), mas foi despedido por Barbara Streisand após três dias de filmagem por não conseguir lembrar-se das suas falas e por ter problemas de equilíbrio. Foi-lhe diagnosticada uma paralisia supranuclear que lhe afetava os membros e o sistema imunológico. Morreu a 27 de março de 2002, na sua mansão em New Jersey.
Como referenciar: Dudley Moore in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-13 19:40:38]. Disponível na Internet: