efeito substituição

O estudo da oferta e da procura e da forma como interagem num mercado é um dos alvos fundamentais da microeconomia. Nesse contexto, a questão da forma como as quantidades oferecidas e procuradas variam com o preço merece muitas vezes atenção particular. Genericamente, assume-se que em condições normais as quantidades que os vendedores estão dispostos a oferecer variam positivamente com o preço de colocação no mercado (lei da oferta) e que as quantidades procuradas pelos compradores variam negativamente com esse mesmo preço (lei da procura). No caso concreto da procura, um outro aspeto importante associado aos referidos é a forma como as quantidades procuradas reagem a alterações no rendimento disponível dos compradores. Em condições normais, é de esperar que a uma variação positiva no rendimento corresponda um aumento da procura e vice-versa.
É no entanto importante referir que o comportamento da procura não é homogéneo, ou seja, depende do tipo de bens que se esteja a considerar. Assim, aspetos como a eventual complementaridade entre bens, a existência de substitutos, o grau de sensibilidade do consumo de bens a variações no preço, etc., influenciam a forma como as quantidades procuradas reagem a variações no preço.
O efeito global de variação nas quantidades procuradas de um determinado bem resultante de uma variação no seu preço resulta da soma de dois efeitos específicos: o efeito rendimento, que traduz a variação na procura resultante diretamente da variação no poder de compra, por sua vez resultante da variação do preço (tendo em conta rendimentos limitados); e o efeito substituição, que traduz o efeito sobre a quantidade procurada resultante da atração relativa efetuada por bens substitutos que possam existir na sequência da variação do preço. Relativamente ao efeito substituição, pode dizer-se que, em condições normais, e pressupondo a existência de bens substitutos, o aumento do preço de um determinado bem provoca a diminuição da sua procura, que é trocada pela de outros bens que o possam substituir e que entretanto se tornam mais atrativos em termos relativos.
Há no entanto situações em que o efeito substituição não se verifica da forma normal. Esse é o caso particular de bens complementares perfeitos (por exemplo um pires e uma chávena), em que, pelo facto de estarem perfeitamente associados, não permitem a ocorrência de substituição por outros bens. Genericamente, o efeito substituição não se verifica nos casos que a substituição não é possível, como é o caso de alguns bens alimentares de primeira necessidade.
De referir ainda que o efeito substituição (e o próprio efeito rendimento, pelo que se pode falar no efeito global) é tanto maior quanto maior for a sensibilidade do bem ou serviço em causa ao fator preço.

Como referenciar: efeito substituição in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-23 17:24:03]. Disponível na Internet: