Egas Moniz (médico)

Neurologista português, nasceu a 29 de novembro de 1874, em Avanca, Estarreja, e morreu a 13 de Dezembro de 1955, em Lisboa.
Formou-se em Medicina na Universidade de Coimbra em 1898, na qual foi nomeado professor em 1902.

A partir de 1911 e até 1944 passou a ocupar a recém-criada cadeira de Neurologia da Faculdade de Medicina de Lisboa, onde foi o primeiro professor.
Em 1927 efetuou a primeira angiografia cerebral no homem. Este novo processo permitiu obter em películas radiográficas a imagem dos vasos sanguíneos intracranianos e constituiu o maior progresso da cirurgia cerebral em 50 anos.

Egas Moniz levou à criação da cirurgia vascular no encéfalo e trouxe uma contribuição fundamental para os diagnósticos dos tumores cerebrais.

Nos traumatismos cranianos também o método do neurologista português se revelou importante porque indica com segurança a presença de hematomas.

Em 1935 concebeu uma nova forma de intervenção cirúrgica cerebral, a leucotomia pré-frontal, muito utilizada no tratamento de certas psicoses graves, o que lhe valeu o Prémio Nobel da Medicina em 1949, partilhado com W. R. Hess.

Egas Moniz abriu caminho ao estudo da fisiologia do sistema nervoso central.
Publicou uma extensa autobiografia da qual se destacam: Confidências de um Investigador Científico (1949) e A Nossa Casa (1950).

Egas Moniz também se dedicou à política, tendo ocupado o cargo de Ministro dos Negócios Estrangeiros.
A sua atividade política decorreu no período entre 1903 e 1917.
Como referenciar: Egas Moniz (médico) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-17 19:31:10]. Disponível na Internet: