Elegias

A elegia surgiu na Grécia Antiga, no século VII a. C. Inicialmente definida por um metro específico, passou a designar um género poético caracterizado pelo assunto: a tristeza dos amores interrompidos pela infidelidade ou pela morte. Sá de Miranda restaurou este tipo de composição abordando sentimentos de tristeza e de luto motivados pela morte de um ente querido ou personagem ilustre.
São três as elegias escritas por Francisco Sá de Miranda: Elegia a uma Senhora mui lida; Elegia a António Ferreira e Elegia à morte do Príncipe D. João.
Este género foi também cultivado em Portugal entre os séculos XVI e XVIII por António Ferreira, Camões, Rodrigues Lobo, Cruz e Silva, Bocage e pela Marquesa de Alorna.
Como referenciar: Elegias in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-08-08 06:54:38]. Disponível na Internet: