Elizabeth Browning

Poetisa inglesa, Elizabeth Barrett Browning nasceu a 6 de março de 1806 em Coxhoe, Durham. Filha de um homem abastado, enriquecido principalmente à custa de plantações na Jamaica, cresceu na parte ocidental de Inglaterra, e foi educada em casa por um precetor. Aprendeu Latim e Grego com celeridade, tendo-se tornado uma leitora voraz.
Aos catorze anos organizou a sua primeira coletânea de poemas, The Battle Of Marathon (1820). Por essa altura, foi vítima de um acidente equestre, que lhe causou mazelas incuráveis na coluna vertebral, pelo que consumiu morfina contra as dores durante o resto da sua vida.
Continuou depois com An Essay On Mind, publicado a expensas de seu pai em 1826, e uma tradução de Ésquilos, Prometheus Bound (1833, Prometeu Agrilhoado). Em 1832 a família mudou-se para Sidmouth e, três anos depois, para Londres, onde a poetisa começou a colaborar para a imprensa. Em 1838 apareceu The Seraphim, And Other Poems, obra que chamou sobre si a atenção do público. Nesse mesmo ano seria enviada para Torquay, em convalescença de um derrame, na companhia do irmão. Este morreu aí afogado e Elizabeth ganhou um medo quase mórbido de estar na companhia de pessoas. Dedicou-se portanto inteiramente à Literatura.
Em 1844, com a publicação de Poems, obteve grande popularidade, e foi elogiada por Edgar Allan Pöe, entre outros. Chegou-se a referir o seu nome como sucessora de Wordsworth como Poeta da Corte britânica.
Aos trinta e nove anos deu início a uma correspondência com o poeta Robert Browning, seis anos mais novo, e que conhecia toda a sua obra. O namoro foi mantido em segredo do seu pai, que havia terminantemente proibido os seus doze filhos e filhas de se casarem. No ano seguinte, Elizabeth fugiu da alçada do pai e, em setembro de 1846, casou com Robert Browning e viajou com ele para Itália, onde se fixou, na cidade de Florença, até ao fim da sua vida.
Na sua maturidade, Elizabeth Browning começou a interessar-se pela causa da independência italiana. Tornou-se apoiante do movimento de unificação italiana e opôs-se à escravatura. Em 1857 publicou Aurora Leigh, um romance escrito em prosa poética que lida com questões como o papel da mulher na sociedade, e com as responsabilidades morais dos poetas.
Faleceu, a 29 de junho de 1861, em Florença, nos braços do seu marido. Entre os seus poemas mais conhecidos destacam-se Sonnets From The Portuguese (1850), e que se referem possivelmente à obra de Luís Vaz de Camões.
Como referenciar: Elizabeth Browning in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-24 02:31:28]. Disponível na Internet: