Elvis Costello

Cantor e compositor inglês, de nome verdadeiro Declan Patrick McManus, Elvis Costello nasceu em 1954, em Londres. Adotou o nome Elvis Costello, devido a Elvis Presley e ao apelido da família de sua mãe (Costello).
Começou a atuar em público em 1969, embora a sua primeira gravação só tenha acontecido em 1977, com o álbum My Aim Is True, do qual foram extraídos os singles "Less Than Zero", "Alison" e "Watching the Detetives". Desde então, o cantor gravou dezenas de álbuns, maioritariamente preenchidos com composições originais. Entre 1977 e 1985, Costello gravou e partiu em digressões quase exclusivamente com a sua banda, The Attractions. De 1986 a 1993, tornou-se artista a solo, liderando bandas de apoio, como por exemplo, os The Rude 5. Muitos outros artistas adotaram músicas suas, de uma extensa lista de mais de três centenas de temas. Entre esses nomes sobressaem Chet Baker, Johnny Cash, June Tabor, Roy Orbison, Roger McGuinn, Charles Brown, George Jones, The Composer's Ensemble e os Blur.
No segundo trabalho de longa duração, This Year's Model (1978), fez-se acompanhar dos Attractions. Este álbum incluiu temas como "Pump It Up", "Chelsea" e "Radio Radio." Os seus trabalhos mais significativos nesta época foram Armed Forces (1979), Get Happy! (1980), Almost Blue (1981), Imperial Bedroom (1982), Punch the Clock (1983), King of America (1986), Spike (1989), Mighty Like a Rose (1991). Em 1989, participou no álbum de Paul McCartney Flowers In The Dirt.. Em 1992, Elvis Costello começou a colaborar com o Brodsky Quartet, partindo em digressão. Essa tournée deu origem a The Juliet Letters, um conjunto de canções para quarteto de cordas e voz. No ano seguinte, completou uma composição para o grupo Fretwork e o contra-tenor Michael Chance, de título Put Away Forbidden Playthings, por altura da comemoração do terceiro centenário da morte de Henry Purcell.
Como produtor, Elvis Costello trabalhou com os The Specials, os Squeeze e os The Pogues. Como vocalista convidado, colaborou com diversos músicos, como T. Bone Burnett, Sam Moore, Bob Dylan, The Dirty Dozen Brass Band, Neil Young, The Chieftains e The Count Basie Orchestra. Em 1994, foi convidado para participar como vocalista no MTV Unplugged de Tony Bennett, laureado com um Grammy. Ainda nesse ano, gravou com Bill Frisell o disco Deep Dead Blue, esgotando a edição limitada do registo. Por essa altura, gravou também um pequeno trecho para a The London Philarmoni Orquestra, chamado "Edge of Ugly". Também neste ano, voltou a juntar-se aos The Attractions para uma série de espetáculos e para um disco, o primeiro em nove anos, de nome Brutal Youth.
Um novo álbum foi editado em 1996, All This Useless Beauty, pela mão da Warner Records, e incluía os êxitos "You Bowed Down," "Poor Fractured Atlas," "Little Atoms," "Why Can't a Man Stand Alone?", "Shallow Grave" (escrita em conjunto com Paul McCartney) e "I Want to Vanish" (com membros do Brodsky Quartet).
O final dos anos 90 marcou a edição de algumas colaborações do cantor. Assim, em 1998, juntamente com Burt Bacharach, lançou Painted From Memory. Três anos mais tarde, contou com a cantora lírica austríaca Anne Sofie Mutter no disco For the Stars.
Além disso, continuou a trabalhar noutras áreas, como o cinema e as bandas sonoras. Teve uma pequena aparição cinematográfica em Austin Powers: The Spy Who Shagged Me (1999), interpretando "I'll Never Fall in Love Again" com Burt Bacharach. Surgiu ainda na banda sonora de Notting Hill (1999), com o tema "She".
Em 2003, regressou às edições de estúdio em nome próprio, gravando na Deutsche Grammophone, editora habitualmente associada à música clássica, um disco de sonoridade jazz, bem ao seu estilo, de título North.
Como referenciar: Elvis Costello in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-01-18 11:43:39]. Disponível na Internet: