Emeric Pressburger

Realizador e argumentista húngaro, posteriormente naturalizado inglês, Józef Pressburger Imre nasceu a 5 de dezembro de 1902, na pequena aldeia húngara de Miskolc. Com a ajuda da família, viajou para Praga, em 1920, onde se matriculou em Jornalismo na Universidade local. Dois anos mais tarde, pediu transferência para a Universidade de Estugarda onde concluiu o curso. Regressou à Hungria, em 1926, para exercer a profissão, mas a falta de oportunidades credíveis levou-o a voltar para a Alemanha. A convite dos estúdios UFA de Berlim, começou a escrever argumentos para filmes. Com a eclosão da Segunda Guerra Mundial e devido à sua ascendência judia, foi colocado na Lista Negra e perseguido. Em 1940, fugiu para a Grã-Bretanha e refugiou-se em Londres onde as ofertas de trabalho escasseavam devido ao facto de não falar uma única palavra em inglês. Num jantar com produtores franceses, foi apresentado ao realizador Michael Powell e aí iniciou-se uma longa e frutífera colaboração. Em 1942, fundam a companhia The Archers, e o seu primeiro título elaborado em parceria foi One of Our Aircraft Is Missing (Desapareceu Um dos Nossos Aviões, 1942), um drama de guerra cuja ação se centra em pilotos da RAF que, depois de serem abatidos sobre a Holanda, engendram um plano para regressar a Inglaterra. O argumento, da autoria de Pressburger, foi um dos responsáveis pelo êxito do filme, que perpassou uma mensagem de exaltação dos valores patrióticos em pleno conflito mundial. Em seguida, rodaram Life and Death of Colonel Blimp (A Vida do Coronel Blimp, 1943), uma sátira baseada na personagem de um velho militar e da sua presença em três conflitos bélicos. O filme foi sujeito a censura governamental devido ao facto de retratar a amizade entre Blimp e um militar alemão (interpretado por Anton Walbrook). Finda a Segunda Guerra Mundial, rodaram em conjunto um dos mais belos filmes de guerra de sempre: A Matter of Life and Death (Questão de Vida ou de Morte, 1946), onde David Niven surge na figura de um piloto abatido em combate e que, face à injustiça da sua morte, pretende voltar à Terra, defendendo-se perante um tribunal celestial. Os dois realizadores iniciavam assim a melhor fase da sua carreira conjunta, marcada por obras-primas como The Black Narcisus (Quando os Sinos Dobram, 1946), The Red Shoes (Os Sapatos Vermelhos, 1948) e The Tales of Hoffmann (Os Contos de Hoffman, 1951), este último, uma bela reprodução da ópera de Jacques Offenbach. O último título da dupla Powell-Pressburger foi We'll Meet by Moonlight (1957), um drama centrado na ocupação da ilha de Creta pelas tropas britânicas na Segunda Grande Guerra e protagonizado por Dick Bogarde e Christopher Lee. Após o lançamento do filme, Pressburger retirou-se para a sua propriedade rural em Suffolk, onde faleceu em 5 de fevereiro de 1988.
Como referenciar: Emeric Pressburger in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-14 12:03:28]. Disponível na Internet: