Encefalopatia Espongiforme Bovina (BSE)

A BSE é causada por um prião, sendo, como quase todas as outras doenças originadas por este tipo de agente infecioso, uma patologia que afeta o sistema nervoso central (SNC), o qual é responsável pelo controle (voluntário e involuntário) de todas as outras partes do organismo. Em consequência disto, a infeção priónica, com um período relativamente longo de incubação (pode ser de anos) origina, após a manifestação dos primeiros sintomas, uma rápida degradação do SNC (formado pelo encéfalo e pela medula espinal), ficando o cérebro com o aspeto de uma esponja e provocando um descontrole progressivo da musculatura sob controlo voluntário (por exemplo, o músculo das pernas e pescoço) e dos músculos (sob controlo involuntário) que asseguram o funcionamento de vários órgãos vitais, sobrevindo rapidamente a morte.
A BSE foi descrita pela primeira vez no Reino Unido, em 1987, tendo atingido rapidamente uma dimensão epidémica entre os bovinos, com mais de 500 000 animais suspeitos de infeção, o que dada a possibilidade, embora não comprovada, de transmissão ao homem através do consumo da carne ou outras partes (nomeadamente, cérebro, medula espinal, vísceras e ossos) de animais infetados, levou a que a União Europeia decretasse o embargo da carne bovina e derivados provenientes de Inglaterra, e, mais tarde, alargasse também esse embargo a outros países onde a BSE surgiu, como Portugal, embora neste país o número de casos seja comparativamente mais reduzido. Além da BSE, são também conhecidas várias outras encefalopatias espongiformes que afetam outros animais, como o Scrapie, nos carneiros e a doença de Creutzfeldt-Jakob, no homem.
A hipótese de ocorrer transmissão da BSE ao homem foi um dos campos sobre o qual a investigação científica mais se debruçou desde que esta doença foi descoberta em 1987. No entanto, embora essa hipótese parecesse inicialmente ser bastante improvável, a descoberta, em abril de 1996, de uma nova variante da doença de Creutzfeldt-Jakob, bem como, mais recentemente, a descoberta de diversas semelhanças entre o prião causador desta nova variante da doença de Creutzfeldt- Jakob e o prião responsável pela BSE, levantou de novo a hipótese da transmissibilidade da BSE - devida, provavelmente, a mutações (alterações na sua estrutura glicoproteíca) no prião originalmente causador da BSE, o qual adquiriu assim a capacidade de infetar o homem. A doença de Creutzfeldt- Jakob é conhecida desde de 1920, sendo extremamente rara (menos de um habitante infetado, por cada milhão, por ano), afetando sobretudo idosos, mas a nova variante desta doença distingue-se por apresentar uma incidência em escalões etários mais novos, abaixo dos 40 anos.
Em função, não apenas da gravidade da doença mas também do pânico que se gerou nas populações conduzindo a uma quebra abissal no consumo de carne de vaca, com graves repercussões económicas para este setor da pecuária, foram criadas várias comissões de acompanhamento, estudo e prevenção da BSE, um pouco por toda a Europa e pela própria Comunidade Europeia. Em Portugal, foram também criadas várias comissões por iniciativa de várias entidades, como a Divisão de Epidemiologia e Bioestatística da Direção Geral de Saúde, Ministério da Saúde, Ministério da Agricultura, Ordem dos Médicos, Ordem dos Veterinários, entre outras, do que resultou, por exemplo, a criação da Comissão para o Estudo e Acompanhamento das Encefalopatias Espongiformes.
Como referenciar: Encefalopatia Espongiforme Bovina (BSE) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-18 14:13:16]. Disponível na Internet: