energia de Gibbs

Nas reações químicas o equilíbrio pode ser explicado jogando com dois fatores: a diminuição da energia e o aumento da entropia. O facto de uma reação não se encontrar em equilíbrio é uma consequência da diferença entre os valores destes dois fatores. Esta diferença é a força resultante que comanda as reações químicas e denomina-se energia livre.
Com o decorrer da reação química a energia livre diminui até atingir um valor mínimo, enquanto que a entropia aumenta até um valor máximo.
A energia livre pode ser calculada sob duas condições experimentais: a volume constante (energia livre de Helmholtz) e a pressão constante (energia livre de Gibbs).
Uma vez que a maioria das reações químicas são estudadas à pressão constante, a função mais utilizada é a energia livre de Gibbs ou função de Gibbs, representada pela letra G.
Esta energia deve o seu nome ao físico norte-americano Josiah Willard Gibbs (1839-1903).
A energia livre de Gibbs pode ser definida pela seguinte expressão: G = H-TS, onde G é a energia libertada ou absorvida num processo reversível a temperatura constante, H é a entalpia, T a temperatura e S a entropia do sistema.
Variações na energia livre de Gibbs (G) são úteis porque indicam as condições em que uma reação química poderá realizar-se. Se G é positivo, a reação apenas se realizará se se fornecer energia para a afastar da posição de equilíbrio. Se G é negativo, a reação realizar-se-á espontaneamente em direção ao equilíbrio.
Como referenciar: Porto Editora – energia de Gibbs na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-25 08:08:40]. Disponível em