energia reticular de compostos iónicos

A energia reticular dos compostos iónicos consiste numa medida da estabilidade de uma rede de cristal, avaliada com base na energia que seria libertada por cada mole de átomos, iões ou moléculas do cristal infinitamente afastadas ao distribuírem-se para formar o cristal.

Para calcular as energias da rede cristalina dos cristais iónicos usa-se o denominado ciclo de Born-Haber, em homenagem ao físico alemão Max Born (1882-1970) e ao químico alemão Fritz Haber (1868-1934) que o descobriram.
Para um composto iónico MX, a energia da rede é a entalpia da reação (M+ (g) + X- (g) → MX(s) + ΔHL).
O ciclo engloba equacionar esta entalpia (que pode ser medida) na soma das entalpias de um certo número de etapas desde os elementos até ao sólido iónico. As etapas são as seguintes: atomização do metal; atomização do não metal; ionização do metal através do potencial de ionização; ionização do não metal através da afinidade eletrónica e formação dos sólidos iónicos. Somando todas as entalpias referentes a cada etapa obtém-se o ΔHL.

Como referenciar: energia reticular de compostos iónicos in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-02-20 23:58:17]. Disponível na Internet: