Entente Anglo-Russa

No seguimento do processo de agrupamento das potências mundiais em virtude dos seus interesses políticos, que acabaram por se juntar na luta contra as forças germânicas em 1914, a Rússia posicionou-se ao lado da França, sua aliada, e apesar da assinatura do Tratado de Bjorko de 1905, este país tinha cooperado com as potências da Entente em Aljeciras.
Posteriormente, após a derrota frente ao Japão (1905), a Rússia ansiava entabular conversações com a Grã-Bretanha para assim melhorar as relações diplomáticas entre os dois estados.
A convenção punha termo aos principais pontos de discórdia entre estes, a Rússia e a Inglaterra, que remontavam a um período muito recuado. Foi aceite de parte a parte a independência da Pérsia, um assunto definitivamente encerrado, mas esta região ficava dividida entre as esferas de interesses russos e britânicos. O Afeganistão era um tema caro, especialmente aos ingleses, que estavam muito interessados em exercer uma forte influência neste país. Relativamente ao Tibete foi acordada a manutenção do domínio chinês, controlado através do governo-fantoche naquele país estabelecido pelos chineses.

Como referenciar: Entente Anglo-Russa in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-18 13:10:33]. Disponível na Internet: