Eric Ambler

Escritor inglês, Eric Ambler nasceu em 1909, em Londres. Filho de gente do teatro, seguiu também em digressão no final da década de 20, como comediante de revista. Escreveu, também por essa altura, algumas peças.
Fez estudos de Engenharia na Universidade de Londres, entre 1924 e 1927, e foi estagiário na Edison Swan Electric Company, até a firma ter sido aglutinada pela Associated Electrical Industries, passando então a desempenhar funções no departamento de publicidade.
Publicou a sua primeira obra em 1936, The Dark Frontier, um romance de ação, a que se seguiram, com a cadência de publicação de um por ano, Uncommon Danger (1937), Epitaph for a Spy (1938), Cause for Alarm (1938), The Mask of Dimitrios (1939), e Jorney Into Fear (1940). Tal como outros intelectuais da década de 30, Ambler era simpatizante da esquerda, embora nunca tivesse chegado a ser comunista. Nas suas primeiras obras, Ambler teria usado o formato de romance de espionagem para recorrer à análise da política internacional e do modo de operar das grandes empresas. A fórmula que para tal teria desenvolvido seria a de utilizar uma personagem principal, geralmente um inglês, que seria arrastado, por força das circunstâncias, para uma teia de espionagem internacional e de intriga.
Em 1938, Ambler foi nomeado consultante de guião para Alexander Korda. No ano seguinte, e com a deflagração da Segunda Guerra Mundial, alistou-se como recruta na Royal Artillery, tendo sido, pouco depois, convocado para uma unidade fotográfica. Servindo em Itália, Ambler foi promovido a diretor-adjunto de cinematografia militar no British War Office, e no âmbito desta posição escreveu e realizou quase uma centena de filmes de propaganda e de instrução. Terminou a guerra como tenente-coronel e foi galardoado com uma American Bronze Star.
Depois da guerra, Ambler trabalhou como argumentista para a Rank Organization. Em 1939 chegou a colaborar com o famoso realizador David Lean, no filme Passionate Friends (1949), baseado o romance de H.G. Wells, e em Madeleine (1951).
Entre os anos 1941 e 1951, Ambler escreveu uma série de romances em coautoria com Charles Rodda, utilizando o pseudónimo Eliot Reed, entre os quais se contavam Tender to Danger (1951), Charter to Danger (1954) e Passport to Panic (1958).
Ambler só chegaria a visitar Hollywood pela primeira vez em 1957, embora já tivesse antes escrito um argumento para a United Artists, companhia cinematográfica aí sediada. The Purple Plain era um filme de guerra baseado no romance de H. E. Bates, e nele participara o ator Gregory Peck. Em 1960, Ambler passou a viver na Califórnia, onde criou a série televisiva Checkmate, acerca dos detetives particulares em São Francisco, e The Most Deadly Game.
Em 1969 Ambler deu início a um período de dezasseis anos de residência na Suíça, após o qual retornou à sua Inglaterra natal. Em 1981 publicou as suas memórias, Here Lies Eric Ambler. Casou-se duas vezes, tendo a sua segunda esposa, antiga assistente do realizador Alfred Hitchcock, falecido em 1994.
Eric Ambler foi premiado com inúmeros galardões. Recebeu o Gold Dagger da British Crime Writers Association em 1959, 1962, 1967 e 1972, por obras publicadas, e em 1986 recolheria, da mesma instituição, o Diamond Dagger, por uma vida dedicada à ficção policial e de espionagem. A organização Mystery Writers of América concedeu-lhe o Edgar Award em 1964, e o título de Grande Mestre em 1975. Foram-lhe prestadas homenagens também na Suécia e em França. No ano de 1981 foi ordenado oficial da Ordem do Império Britânico. Faleceu a 22 de outubro de 1998, em Londres.
Como referenciar: Eric Ambler in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-15 05:37:12]. Disponível na Internet: