Erwin Sanchez

Futebolista internacional boliviano, Erwin Freking Sanchez nasceu a 19 de outubro de 1969, em Santa Cruz, na Bolívia.
Este médio ofensivo boliviano destacou-se no seu país ao serviço do Destroyers. O Benfica reparou no seu talento e na temporada 1990/1991 foi buscá-lo para jogar em Portugal. Com vinte anos, Sanchez estreou-se na I Divisão portuguesa, num jogo disputado a 25 de agosto de 1990, no qual o Benfica ganhou em Guimarães por 2-0. O treinador que lançou o boliviano foi o sueco Sven Goran Eriksson. Mas a época não correu muito bem a Sanchez, que só fez 16 jogos e marcou um golo. Assim, o jogador na temporada seguinte foi emprestado ao Estoril-Praia, na altura na I Divisão. Neste clube voltou a mostrar qualidades e em 28 jogos marcou oito golos. Sanchez revelou-se um bom marcador de livres, aproveitando-se do facto de ter um pontapé bastante potente.
Mas o boliviano em 1992/1993 acabou por ser transferido para o Boavista e também aqui sentiu alguma dificuldade para se impor na equipa principal. Mas na temporada seguinte assegurou definitivamente o estatuto de titular, tendo ainda marcado sete tentos. Sanchez manteve-se no Boavista até ao final da época 1996/1997, na qual ganhou a Taça de Portugal. Contudo, esta temporada ficou marcada de forma negativa por uma pesada suspensão ao jogador, que agrediu um árbitro num jogo em que estava ao serviço da seleção da Bolívia. O médio, a quem chamaram o Platini da Bolívia, foi de novo contratado pelo Benfica e na época de 1997/1998 fez 26 jogos e marcou seis golos. Mesmo assim, na temporada seguinte acabou por ser de novo dispensado do clube lisboeta e foi emprestado ao Boavista, onde esteve muito discreto. Em 1999/2000 teve de regressar ao Benfica, clube com o qual tinha contrato, mas como o treinador alemão Jupp Heynckes não contava com ele foi enviado para o Benfica B, que alinhava na II Divisão B. Mesmo a jogar numa divisão inferior, Sanchez sempre se empregou a fundo e foi considerado um exemplo para os futebolistas mais jovens do Benfica que rodavam naquela formação. A meio da temporada acabou por ser cedido definitivamente ao Boavista, ainda a tempo de fazer 18 partidas e três golos.
Em 2000/2001 fez a sua melhor época de sempre em Portugal e sagrou-se campeão nacional ao serviço do Boavista, feito inédito para o clube do Porto. Sanchez contribuiu com nove golos em 33 jogos.
Na época 2003/04, Sanchez assumiu as funções de treinador do clube axadrezado, contudo os resultados não foram os melhores e acabou por ser despedido no decorrer da temporada.
Como referenciar: Erwin Sanchez in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-22 01:11:36]. Disponível na Internet: