esfenodontes

Ordem dos répteis representada por uma única espécie viva, Sphenodon punctatum, vulgarmente conhecida por tuatara, único sobrevivente da família dos Esfenodontídeos. Os outros representantes desta ordem começaram a viver na era Mesozoica e extinguiram-se há 100 milhões de anos.
Viviam em toda a Nova Zelândia, mas agora estão restritos às ilhotas do Estreito de Cook, onde sobrevivem sobre proteção do governo da Nova Zelândia.
O tuatara despertou o interesse dos zoólogos pelo facto de apresentar numerosas características idênticas às dos fósseis mesozoicos com 200 milhões de anos. Tem os dentes soldados aos bordos das maxilas, sem alvéolos, apresenta um terceiro olho no alto da cabeça e é desprovido de órgão copulador. Apresenta um arco ósseo ao lado do crânio, no qual se insere solidamente o osso quadrado que se articula com o maxilar inferior. A semelhança com o lagarto explica-se pela forma e proporções do corpo e da cauda. A crista espinhosa que orna o pescoço e o dorso é semelhante à das iguanas. As escamas que recobrem o corpo não são semelhantes às dos lagartos, pois não são imbricadas nem apresentam um bordo livre. A cor geral é o cinzento esverdeado com uma pequena mancha branca em cada uma das escamas. Um tuatara adulto será mais esverdeado e as crias são rosadas quando saem do ovo. A pele muda-se aos bocados, sendo as manchas amarelas mais brilhantes após a muda, escurecendo com o envelhecimento. O regime alimentar do tuatara é à base de insetos, principalmente coleópteros. Os ovos do tuatara são postos numa cova pouco profunda, demorando a incubação cerca de um ano.
Como referenciar: Porto Editora – esfenodontes na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-08-02 23:54:25]. Disponível em