Artigos de apoio

Eslovénia
Geografia
País do Sudeste da Europa. Situado no Noroeste dos Balcãs, tem uma área de 20 253 km2. Faz fronteira com a Itália, a oeste, a Áustria, a norte, a Hungria, a nordeste, e a Croácia, a este e a sul; a sudoeste, possui uma estreita linha de costa (25 km) no mar Adriático (golfo de Veneza), entre Trieste, na Itália, e a Península de Ístria, na Croácia. As cidades mais importantes são Liubliana, a capital, com 258 700 habitantes (2004), Maribor (92 6 000 hab.), Celje (37 100 hab.), Kranj (35 100 hab.) e Novo Mesto (22 400 hab.). O território é predominantemente montanhoso.

Clima
O clima é de tipo mediterrâneo junto ao litoral, mas apresenta características de clima continental no interior planáltico e nos vales de oeste com invernos frios e verões quentes e com chuvas.

Economia
A Eslovénia é, historicamente, uma das regiões mais prósperas dos Balcãs, com uma economia baseada na indústria. Os produtos industriais são o aço, o alumínio, os materiais de construção, os detergentes, os tecidos, os produtos de couro e as bicicletas. Existem grandes reservas de carvão e alguns depósitos de petróleo e de gás natural. A agricultura não se encontra muito desenvolvida mas, mesmo assim, ainda são cultivados o milho, a batata, o trigo, a beterraba e os frutos. Os principais parceiros comerciais da Eslovénia são a Alemanha, a Itália, a Croácia e a França.
Indicador ambiental: o valor das emissões de dióxido de carbono, per capita (toneladas métricas, 1999), é de 7,3.

População
A população é de 2 010 347 habitantes (2006), o que corresponde a uma densidade populacional de 99,2 hab./km2. As taxas de natalidade e de mortalidade são respetivamente de 8,98%o e de 10,31%, o que corresponde a uma taxa de crescimento natural negativa (-0.05%). A esperança média de vida é de 76,33 anos. O valor do Índice do Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,821 e o valor do Índice de Desenvolvimento ajustado ao Género (IDG) é de 0,879 (2001). As etnias principais são a eslovena, com 91%, a croata, com 3%, a sérvia, com 2% e outras, com 4%. A religião com maior expressão é a católica. A língua oficial é o esloveno.

História
No século IX, a Eslovénia passou a integrar o Império Germânico e os Eslovenos foram reduzidos à servidão. A partir do século XIII, a suserania dos Habsburgos austríacos no território foi sendo gradualmente estabelecida. Entre os séculos XV e XVI, ocorreram algumas rebeliões entre os camponeses eslovenos. Mas, no século XVIII, a imperatriz Maria Teresa e o seu filho José II conseguiram travar as revoltas, decretando algumas reformas.
Depois de um curto período de domínio napoleónico, entre 1809 e 1814, a administração dos Habsburgos foi restabelecida na região. Em 1870, surgiram as esperanças da população no sentido da união política dos países eslavos do Sul (a Eslovénia, a Sérvia e a Croácia). Vinte anos mais tarde, começaram a surgir os primeiros partidos políticos. Em 1918, no final da Primeira Guerra Mundial, os líderes políticos da Eslovénia cooperaram na formação do Império Sérvio, Croata e Esloveno que, em 1929, passou a designar-se Jugoslávia. No início da Segunda Guerra Mundial, a Eslovénia foi ocupada e dividida pelas Potências do Eixo, a Alemanha, a Itália e o Japão. Mas a resistência começou a surgir, principalmente a comunista Frente de Libertação. Com a vitória dos Aliados, em 1945, a Eslovénia tornou-se uma república constituinte da Jugoslávia. Sob o domínio comunista, a Eslovénia gozou de uma razoável autonomia nos campos económico e cultural.
No final da década de 1980, os líderes comunistas eslovenos iniciaram a construção de um sistema multipartidário, colocando-se assim em vantagem em relação ao domínio do Partido Comunista da Sérvia jugoslava. Em abril de 1990, decorreram na Eslovénia as primeiras eleições multipartidárias dentro da Federação Jugoslava, desde a Segunda Guerra Mundial, que foram ganhas por uma coligação de centro-direita. Pouco tempo depois o novo Governo decidiu-se pelo direito à independência. A Eslovénia separou-se da federação, em junho de 1991, e, um ano depois, a independência foi reconhecida pela União Europeia. A partir desse momento, a economia e a sociedade do país começaram a seguir os padrões da Europa Ocidental.
A Eslovénia aderiu formalmente à União Europeia no dia 1 de maio de 2004, numa cerimónia realizada em Dublin, e a 1 de janeiro de 2007 tornou-se o 13.º país a aderir à moeda única.
Como referenciar: Eslovénia in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-09-22 07:25:49]. Disponível na Internet: