espetrofotometria

A espetrofotometria, também designada por espetroscopia fotoeletrónica, consiste num método utilizado para determinar os potenciais de ionização de moléculas.
Segundo esta técnica, a amostra é um gás ou vapor irradiado com um feixe estreito de radiação ultravioleta, normalmente proveniente de uma fonte de hélio a 54,4 nm e 21,21 eV de energia fotónica.
Os fotoeletrões produzidos de acordo com a equação de Einstein passam através de uma fenda dirigindo-se para uma região de vácuo onde são deflectidos por campos magnéticos ou eletrostáticos dando origem a um espetro de energia. O espetro fotoeletrónico assim obtido possui picos correspondentes aos potenciais de ionização da molécula e portanto as energias orbitais.
Este método também fornece informação acerca dos níveis de energia vibracionais dos iões que se formam.
A espetroscopia eletrónica para análise química, cuja abreviatura é ESCA, é uma técnica analítica semelhante à espetrofotometria, na qual é utilizado um feixe de raios-X. Neste caso, os eletrões ejetados são provenientes de níveis interiores dos átomos. Os picos no espetro eletrónico para um elemento particular apresentam deslocamentos químicos característicos, que dependem da presença de outros átomos na molécula.

Como referenciar: espetrofotometria in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-14 00:47:41]. Disponível na Internet: