espetrómetro

Em física e em astronomia, designa-se por espetrómetro um instrumento utilizado para estudar a composição da luz emitida por uma fonte. A extensão, ou espetro, dos comprimentos de onda emitidos por uma fonte depende dos seus elementos constituintes e pode ser usada para determinar a sua composição química.
As versões mais simples dos espetrómetros analisam apenas a luz visível. Um colimador recebe os raios incidentes e produz um feixe paralelo, que então é separado num espetro por uma rede de difração ou por um prisma montado numa mesa giratória. À medida que a mesa giratória é rodada, cada uma das cores constituintes do feixe pode ser vista através de um telescópio, e o ângulo em que cada uma delas foi desviada pode ser medido numa escala circular. A partir desta informação, os comprimentos de onda em que a radiação analisada é decomposta podem ser calculados.
Os primeiros espetrómetros foram os espetroscópios introduzidos no início do século XIX.
Os espetrómetros são usados em astronomia, para estudar a radiação eletromagnética emitida por estrelas ou outros corpos celestes. A informação espetral obtida pode ser usada para determinar as suas composições químicas, ou para medir o desvio em direção ao vermelho do comprimento de onda da radiação detetada. Esse desvio está associado à expansão do universo e permite calcular a velocidade com que as estrelas distantes se estão a afastar da Terra.
Como referenciar: espetrómetro in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-02-24 17:42:02]. Disponível na Internet: