esqui aquático

O esqui aquático foi inventado em 1922, por um jovem de apenas 18 anos, de nome Ralph Samuelson.
É um desporto de aventura em que um esquiador está agarrado, por um cabo de cerca de 20 metros, a um barco a motor que deve manter velocidades médias entre os 35 e os 55 km/hora (20 a 30 nós). A comunicação entre o esquiador e o condutor do barco é bastante importante.
Os esquis dos praticantes têm vários comprimentos (o tamanho normal é de 1,70 metros) e podem ser de madeira ou fibras sintéticas. As provas mais espetaculares e apreciadas são as de acrobacias. Atualmente, o esqui aquático engloba mais modalidades do que inicialmente. Além das tradicionais provas de slalom, acrobacias (trick skiing) e saltos (jumping), engloba ainda o barefoot skiing, kneeboarding, wakeboarding, show skiing, tubing e ski racing.
Em 1946 nasceu a World Water Ski (WWS), em Genebra, Suíça, com apenas três países membros: a Suíça, a França e a Bélgica. Em 1986, a WWS foi renomeada, passando a chamar-se Internacional Water Ski Federation (IWSF). Esta organização, que tutela o esqui aquático a nível mundial, está dividida em três regiões: Pan America, Ásia e Austrália, e EAME, que engloba a Europa, África e Médio Oriente.
O esqui aquático foi reconhecido pelo Comité Olímpico Internacional (COI) em 1967 e, cinco anos mais tarde, em 1972, foi modalidade de exibição nos Jogos Olímpicos
Como referenciar: esqui aquático in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-03-20 08:53:56]. Disponível na Internet: