ética da comunicação

Componente moral das atividades comunicativas. Nos últimos anos observou-se o interesse crescente dos profissionais da comunicação pelos problemas éticos. A facilidade de acesso à informação e o aumento considerável dos canais informativos criaram certos perigos. Em consequência, a liberdade de comunicação aumenta a responsabilidade individual nas mensagens e nos seus efeitos. O problema é particularmente visível no caso da comunicação persuasiva, como, por exemplo, a publicidade ou propaganda onde a fronteira entre manipulação e informação tende a ser frágil. Também a retórica e, nomeadamente, a argumentação correm o perigo de serem utilizadas com o intuito de manipular, de ocultar a verdade ou relativizar o mal. A regra universal da ética da comunicação baseia-se no acordo acerca dos princípios de informação e de argumentação. O cumprimento da regra mencionada permite a explicação de situações de conflito, assim como o esclarecimento das mensagens ilegíveis. Os grupos dos profissionais da comunicação (knowledge workers) costumam formular códigos deontológicos que regem o exercício da profissão.

Como referenciar: ética da comunicação in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-19 17:07:53]. Disponível na Internet: