Eurythmics

As origens dos Eurythmics, grupo pop britânico, remontam aos Tourists, uma banda pós-punk de finais dos anos 70, formada por Dave Stewart (n. 09-09-52, Sunderland, Inglaterra), Annie Lennox (n. 25-12-54, Aberdeen, Escócia), Peet Coombes, Eddie Chin e Jim Toomey. Lançaram três álbuns - The Tourists, Reality Effect e Luminous Basement - e obtiveram dois êxitos moderados com os singles "I Only Want to Be with You" e "So Good to Be Back Home Again". O ocaso dos Tourists, em 1980, coincidiu com o fim da relação sentimental entre Stewart e Lennox, mas não extingiu a parceria musical entre ambos dado que, pouco tempo depois, nasciam os Eurythmics.
O álbum de estreia, intitulado In The Garden (1981), originou críticas positivas, mas foi um fracasso de vendas. O grupo teria de esperar dois anos para ver lançado o seu primeiro grande sucesso, o álbum Sweet Dreams (Are Made of This) (1983), cujo tema título alcançou o segundo lugar das tabelas de vendas britânicas, colhendo ainda os frutos do respetivo videoclip, que passou com insistência na estação televisiva MTV.
Para além de "Sweet Dreams", o grupo viu-se representado nas tabelas de singles, durante 1983 e 1984, por êxitos como "Who's That Girl", "Love Is a Stranger", "Right by Your Side" e "Here Comes the Rain Again". O ano de 1984 viu sair a banda sonora da versão cinematográfica da obra de George Orwell, 1984, da qual fez parte o tema "Sexcrime (Nineteen Eighty-Four)". Em 1985, foi editado Be Yourself Tonight, trabalho que atingiu a marca de platina e revelou uma mudança de sonoridade, menos eletrónica e mais R&B, como ficou patente no dueto com Aretha Franklin em "Sisters Are Doin' It For Themselves". Este tema formou com "Would I Lie to You" e "There Must Be an Angel (Playing with My heart)" um trio de singles de grande sucesso.
Revenge, editado em 1986, manteve a tónica na sonoridade soul e R&B e originou os êxitos "When Tomorrow Comes", "Thorn in My Side", "Miracle of Love" e "Missionary Man".
Até ao final da década, seguiram-se os álbuns Savage (1987) e We Too Are One (1989), cujos principais momentos ficaram a cargo de temas como "Shame", "Revival" e "The King & Queen of Rock'n'Roll".
A década de 90 marcou um hiato na atividade musical dos Eurythmics. Após a saída de um Greatest Hits da banda, Lennox iniciou carreira a solo com o álbum Diva. Deste trabalho fez parte o single "Why". Em 1995, editou um conjunto de versões sob o título de Medusa, cujo momento mais significativo foi o tema "No More I Love You's". Stewart, por seu lado, formou os Spiritual Cowboys e manteve a sua atividade de produtor de vários artistas de renome e compositor de bandas sonoras. Em 1995, lançou o trabalho a solo Greetings from the Gutter, seguindo-se, três anos depois, Sly-Fi, um álbum lançado em conjunto com o sítio do músico na Internet.
Em fevereiro de 1999, os Eurythmics foram homenageados na cerimónia dos prémios Brit. No final do espetáculo, Lennox e Stewart anunciaram oficialmente o regresso do grupo às gravações. Como resultado disso mesmo, surgiu em 1999 o álbum Peace, que incluía o êxito "I Saved the World Today". A pop dos Eurythmics surgia em plena forma, 10 anos depois da última edição discográfica do duo britânico.
Como referenciar: Eurythmics in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-21 23:43:20]. Disponível na Internet: