Eva Lopo

Protagonista e narradora de A Costa dos Murmúrios de Lídia Jorge, Eva Lopo tenta resolver, vinte anos depois, o enigma que envolveu a sua estadia em África, durante a guerra colonial, entre a ocorrência de uma série de mortes de colonos por envenenamento e a morte do seu jovem marido. Entre a palavra e o silêncio, o dito e o murmurado, Eva Lopo procura uma verdade impossível de alcançar dada a discrepância de perspetivas entre a história de colonizadores e a história de colonizados. Ao nível da construção de personagens, Eva Lopo é definida dentro de um jogo narrativo que privilegia as duplas de personagens, desenhadas em espelho: Eva e o marido, Helena e o capitão refletem-se mutuamente, parecendo o segundo par ser uma imagem virtual do que seria o primeiro casal se permanecesse também vários anos em África, sendo que existe uma identificação entre as duas personagens femininas e as duas personagens masculinas, em termos de aprendizagem do funcionamento da existência social e humana nessa costa. Este quadrado de personagens funciona também por oposição, já que Eva se opõe, em vários aspetos, a Helena, não tendo, por exemplo, aceitado a conformação de ficar enclausurada cada vez que o marido se ausenta para incursões bélicas e tendo tentado falar para denunciar a verdade sobre a história colonial portuguesa. Por outro lado, a construção das personagens é concebida sob a forma de triângulos amorosos (Eva - Luís Alex - o jornalista / Helena, o capitão Forza Leal, o despachante), pelos quais, entre presente e passado, cada personagem se define pelo equilíbrio tenso que manteve com cada um dos polos que integram essa geometria inter-relacional.
Como referenciar: Eva Lopo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-26 19:37:13]. Disponível na Internet: