excedente bruto de exploração

A partir da performance verificada numa empresa no que respeita à relação entre proveitos e custos, representada designadamente no mapa contabilístico de Demonstração de Resultados, é possível proceder ao cálculo de alguns indicadores no sentido de avaliar a capacidade dessa empresa gerar resultados, ou seja, aferir da sua performance em termos de rendibilidade.
Quando todos os proveitos e custos relativos a um determinado período (exercício) são considerados, o resultado final da diferença entre eles é o resultado líquido do exercício. Esta rubrica assume uma importância fulcral ao nível da avaliação da rendibilidade da empresa como um todo, ou seja, considerando toda a sua atividade, tanto a nível de exploração ou atividade operacional como das outras áreas, designadamente as atividades financeiras e de investimento.
No entanto, é possível e por vezes importante a utilização de outro tipo de indicadores, também retirados a partir do conjunto de proveitos e custos de uma empresa num determinado período, no sentido de avaliar a performance da empresa em atividades específicas. Esta tarefa é importante numa ótica de informação para a gestão, na medida em que permite identificar quais as operações e atividades da empresa que apresentam melhores e piores performances em termos de rendibilidade.
Neste contexto, o excedente bruto de exploração (EBE), calculado para uma empresa num determinado período, apresenta-se como um bom indicador da performance em termos de rendibilidade ou capacidade de geração de resultados da atividade normal de exploração dessa mesma empresa. Essa atividade normal inclui designadamente as operações de vendas, custo das vendas, custos operacionais e financeiros diretamente ligados à exploração, etc.
Na prática, o EBE corresponde à diferença entre os proveitos líquidos de exploração (vendas, prestações de serviços, etc.) e os custos diretamente ligados à exploração, sem considerar amortizações e provisões (custo das mercadorias vendidas e matérias consumidas, fornecimentos e serviços externos de exploração, impostos ligados à exploração, custos financeiros de funcionamento, etc.). Quando ao EBE se retira o valor das amortizações e provisões, é calculado o valor do excedente líquido de exploração (ELE), também ele um indicador importante para a avaliação da rendibilidade da empresa.
Tendo em conta o referido, pode dizer-se que quanto maior o EBE (e o ELE), melhor a performance em termos de rendibilidade de exploração da empresa, embora seja conveniente fazer uma análise comparativa em termos temporais e setoriais para a obtenção de resultados mais fiáveis.
Os resultados apresentados por uma empresa em termos de EBE e ELE, derivando da sua atividade de exploração, são o resultado da performance dessa empresa em termos de mercado, tecnologia, organização, gestão do aprovisionamento, gestão da produção e produtividade dos meios de produção. Daqui ressalta a importância para a gestão destes indicadores.
O conceito de EBE tem aplicação também a nível da contabilidade nacional, representando nesse caso a diferença entre o valor acrescentado de um determinado setor (acrescido dos subsídios à exploração) e a soma das remunerações com os impostos ligados à produção.
Como referenciar: excedente bruto de exploração in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-04-17 23:42:22]. Disponível na Internet: