Farsa do Alfaiate

A Farsa do Alfaiate é uma peça que figura no Cancioneiro Geral e que é considerada, dos vários textos dramáticos de Anrique da Mota, a sua realização mais conseguida e de maior alcance ideológico. Satirizando o amor excessivo dos Judeus pelo dinheiro, o autor apresenta-nos o alfaiate Manuel, cristão-novo, que entra em desespero ao dar pela falta de um cruzado, produto de seis meses de costura. Duvidando se tal provação não resultará de se ter convertido sem convicção, convence-se de que João de Belas roubou o cruzado e corre para o juiz. Este, que prometera castigar o culpado caso ele fosse identificado, muda de atitude e conclui que, se Manuel perdeu o seu tesouro, não há nada a fazer, já que o tinha ganho sem temor a Deus.
Como referenciar: Porto Editora – Farsa do Alfaiate na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-07-29 23:36:48]. Disponível em