Fatboy Slim

Músico inglês, nascido Quentin Norman Cook, em Bromley, a 13 de julho de 1963. Mudou-se para Brighton, onde estudou e conheceu Paul Heaton. Ao mesmo tempo, iniciava a sua carreira como disc-jockey. Em 1986, e a convite de Paul Heaton, juntou-se aos Housemartins, como baixista. A banda acabou por separar-se um ano depois, o que levou Cook a envolver-se nos ascendentes sons da acid-house, juntando-se aos produtores Tim Jeffery e JC Reid e formando os Pizzaman. No início da década de 90, o trio conseguiu três singles no top 40 britânico, mas o projeto terminou pouco depois. Norman experimentou, então, outras colaborações. Os Freakpower e os Beat International antecederam aquilo que seria a sua melhor prestação, já no âmbito do big beat, sob o nome artístico de Fatboy Slim.
Fatboy editou o seu primeiro álbum, Better Living Through Chemistry, em 1996, com o single "Going out of My Head" a ter um sucesso imediato nos Estados Unidos, em parte, graças ao sample feito do tema "I Can't Explain", dos The Who. Os sons utilizados, com tendências claramente alternativas ao tecno dançável da altura, provaram ser essenciais ao sucesso do DJ inglês. Paralelamente às suas próprias produções, Norman Cook colaborou ainda com nomes como os Cornershop, remisturando "Brimful of Asha", que permaneceu durante várias semanas no primeiro lugar das tabelas de vendas britânicas.
Um ano depois, Fatboy Slim regressou com You've Come a Long Way, Baby. O disco tornou-se um sucesso a nível internacional e conquistou até discos de platina nos Estados Unidos. Os singles "The Rockafeller Skank" e "Praise You" tornaram-se hinos do big beat e o vídeo de "Praise You" ganhou três prémios nos MTV Video Music Awards, recebendo ainda três nomeações para os Grammys. Fatboy Slim tornou-se assim o representante principal do movimento big beat e a música que produziu, como um verdadeiro e experiente perito, é conhecida a nível mundial.
Em 2002 editou Half Way Between The Gutter and The Stars.
Como referenciar: Fatboy Slim in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-26 21:11:40]. Disponível na Internet: