Fernando Mendes

Ator e humorista português, Fernando Jorge Alves Mendes nasceu a 9 de março de 1963, em Lisboa. Passou a sua infância no Parque Mayer, assistindo aos ensaios e representações do seu pai, Vítor Mendes, popular "compère" do teatro de revista. Em 1980, a sua capacidade de contar anedotas impressionou o empresário Vasco Morgado, que o empregou no teatro ABC como contrarregra e figurante em peças de revista. Após a súbita morte de seu pai, em 1981, resolveu apostar na sua carreira de ator. Contracenou com grandes nomes do teatro de revista, como Ivone Silva, Eugénio Salvador, Henrique Viana, Carlos Coelho, Camilo de Oliveira, Marina Mota, Carlos Cunha, Octávio de Matos, Camacho Costa e Carlos Areia, num período em que o Parque Mayer tinha já entrado em declínio. Mendes voltou-se para a televisão, embora desempenhando papéis secundários em séries cómicas como Sabadabadú (1982), Badarosíssimo (1984) e Canto Alegre (1988). A sua primeira prestação televisiva com algum relevo foi na telenovela Passerelle (1988), de Rosa Lobato de Faria e Ana Zanatti, em que desempenhou o papel de vigarista envolvido em pequenos golpes e que é assassinado por acidente. Em seguida, teve mais um papel secundário na série humorística Pisca-Pisca (1989), participando ao lado de atores consagrados como Armando Cortez e Florbela Queirós. Mas o verdadeiro "boom" de popularidade começou graças ao apresentador Carlos Cruz, que, durante a terceira série do concurso Um, Dois, Três (1989), lhe proporcionou a interpretação de sketches humorísticos juntamente com Carlos Cunha e Luísa Barbosa. Mas foi Nicolau Breyner quem de facto compreendeu as potencialidades televisivas de Fernando Mendes. Numa primeira fase, convidou-o para integrar o elenco da série Euronico (1991) e, posteriormente, Nico D'Obra (1993), uma adaptação da popular sitcom americana Honeymooners (1959-1971). Nesta série, Mendes encarnou o papel que tinha sido desempenhado por Art Carney na versão americana. A sua personagem de Nando, a quem Mendes emprestou grande comicidade e uma inusitada capacidade de improviso, conheceu grande popularidade. Depois de ter sido homenageado por Felipe La Féria num episódio de A Grande Noite (1993), Mendes tentou, juntamente com José Raposo e Maria João Abreu, salvar o Parque Mayer e o teatro de revista de um acentuado declínio. Voltaria à televisão, desta vez como protagonista da série Nós, Os Ricos (1996), onde, no papel de Berto "Gosma", encarnou um novo-rico que se muda para a Quinta de Armada enfrentando as mais diversas peripécias ao lado do seu fiel mordomo com salários em atraso (Carlos Areia), da sua irmã ninfomaníaca (Rosa do Canto) e da sua vizinha milionária (Ana Zanatti). As suas incursões televisivas seguintes, Milionários à Força (2000) e Fábrica das Anedotas (2002) não foram tão bem sucedidas em termos de audiências, mas tal não veio beliscar a sua enorme popularidade junto do público. Em 2003, voltou à televisão para substituir Jorge Gabriel na apresentação do concurso O Preço Certo em Euros.
Como referenciar: Fernando Mendes in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-08 08:42:16]. Disponível na Internet: