Fernando Pinto do Amaral

Escritor português, crítico literário e tradutor, nascido a 12 de maio de 1960, em Lisboa, fez o doutoramento em Literaturas Românicas, sendo professor na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
Com um grande prestígio como crítico literário, assina muitos trabalhos em diversas revistas conceituadas, nomeadamente as revistas Ler, A Phala e Colóquio-Letras.
Como ensaísta, publicou em 1991 e 1992, respetivamente, os ensaios O Mosaico Fluido e Na Órbita de Saturno. Começando a escrever aos 30 anos, revela-se aos leitores, como poeta, em 1990, com o livro Acedia e desde então, tem editado com regularidade. Assim, em 1993, edita o livro de poemas A Escada de Jacob, em 1997, também em género lírico, Às Cegas e, em 2000, Poesia Reunida.
A sua obra, fundamentalmente a poética, espelha uma atitude melancólica que caracteriza a vivência finissecular, vivência esta, marcada, neste final de século, pela noção de pós-modernidade.
Assim, no poema narrativo Confessionário, um sujeito poético-narrador presente vai nos dando conta das sensações que o mundo pós-moderno lhe provoca.
Traduziu ainda o livro do poeta simbolista francês, Baudelaire , Les Fleurs du Mal (As Flores do Mal) pela qual recebeu o Grande Prémio de Tradução do Pen-Club e da Associação Portuguesa de Tradutores (A.P.T.) e o de Verlaine, também simbolista, Poemas Saturnianos.
Como referenciar: Fernando Pinto do Amaral in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-13 17:28:14]. Disponível na Internet: