Fidel Ramos

Fidel Ramos nasceu nas Filipinas em 1928. Estudou na Academia Militar norte-americana de West Point e na Universidade de Illinois. Esteve ao serviço do exército filipino na Coreia e no Vietname. Em 1972 o presidente Ferdinando Marcos (seu familiar) nomeou-o chefe da polícia filipina. Sob o comando de Fidel Ramos, a polícia foi responsável pela prisão de centenas de dissidentes políticos. Em 1981, Ramos passou a chefiar o Estado-Maior das Forças Armadas.
Em 1986, após as eleições presidenciais em que Ferdinando Marcos foi o vencedor, Fidel Ramos apoiou a líder oposicionista Corazon Aquino. Estavam em causa alegadas fraudes no processo eleitoral. O movimento de rebelião impôs-se de tal forma que forçou Marcos ao exílio, sucedendo-lhe Aquino.
Durante a presidência de Aquino, Ramos ocupou o cargo de chefe do Estado-Maior das Forças Armadas (1986-1988) e de secretário nacional para a Defesa (1988-1991). Nessa dupla qualidade, teve um papel preponderante na defesa da estabilidade do regime, esforçando-se por impedir os sucessivos golpes de Estado que visavam derrubar o Governo. Em 1992 foi eleito para a Presidência da República, cargo que manteve até 1998.
Como referenciar: Fidel Ramos in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-23 13:06:20]. Disponível na Internet: