Filipe I, o Árabe

Marco Júlio Filipe era árabe de origem, isto é, um cidadão romano nascido na Arábia Félix. Da sua juventude nada se sabe, talvez devido às suas origens. Alcançou o apetecido cargo de Prefeito do Pretório em 143, na sequência da morte de Timesiteo, aliado e conselheiro do então imperador Gordiano III. Depois do assassinato deste pelos pretorianos, num ato provavelmente congeminado diretamente por si, Filipe ascende à dignidade imperial, corria o ano de 244. Pouco depois, em 246, nomeou César seu filho Filipe, o II.
Interrompida a campanha militar na Pérsia, em que se envolveu, Filipe I o Árabe tratou logo de rumar Roma, de onde pouco depois saiu para alcançar, já em 246, estrondosas vitórias no Danúbio. Em 247, nomeou Filipe II Augusto. Em 248, celebram-se em Roma os jogos seculares pela última vez. Começou também nessa altura o fim dos melhores tempos do seu reinado, pois a segurança do seu trono era cada vez mais posta em causa por uma série de tentativas de usurpação do poder, pelo que confiou a Décio a missão de liderar a campanha do Danúbio, uma região fronteiriça nem sempre estável. Décio conquistava então uma preponderância crescente entre as legiões, o que fez com que o viessem a aclamar imperador em 249. Filipe, tentando contrariar a situação, marcha contra Décio e luta contra ele, acabando todavia por ser derrotado em batalha, sendo de imediato morto pelas tropas. Em Roma, entretanto, o mesmo se tratou de fazer a Filipe II, seu filho, trespassado pelas espadas dos pretorianos.
Como referenciar: Filipe I, o Árabe in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-01-17 14:16:29]. Disponível na Internet: