firmamento

Este nome, derivado do latim firmus, foi dado numa altura em que os que estudavam o céu, não possuindo ainda a preciosa ajuda do telescópio, acreditavam que os corpos celestes estavam fixos ou firmes na sua posição.

O firmamento, por constituir um enigma para o Homem, desde sempre foi um elemento intrigante, objeto de curiosidade e veneração. Acreditava-se em muitas religiões que seria o local onde os deuses moravam, devido à distância que o Homem era incapaz de transpor. Esta crença transitou para a tradição cristã, que coloca Deus e os demais seres celestiais precisamente no Céu, por contraposição ao Inferno, que também nas mais diversas religiões se encontrava no subsolo, por contraposição.
Pela mesma razão, era comum (sobretudo na Idade Média europeia) pintar as abóbadas e absides dos templos de azul com estrelas, visto que estas simbolizavam o Céu.

As constelações deram também origem aos signos zodiacais, cujas formas antropomórficas e zoomórficas se representam frequentemente no firmamento. A influência dos corpos celestes que se situam no firmamento é a base para a elaboração dos horóscopos, constituindo uma reformulação das crenças relativas ao poder do que está no alto e é intocável sobre o Homem.

Como referenciar: firmamento in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-22 03:10:44]. Disponível na Internet: