fisiologia dos fungos

O metabolismo dos fungos é idêntico ao metabolismo das plantas. Mas, ao contrário das plantas, os fungos nunca são fotossintéticos e podem metabolizar uma grande variedade de fontes de carbono, incluindo açúcares e óleos. Obtêm o seu alimento quer como saprófitas, vivendo sobre matéria orgânica morta, quer como parasitas, quando se alimentam de matéria viva. Nos dois casos, as substâncias são ingeridas por absorção depois de parcialmente digeridas no exterior das paredes celulares por enzimas produzidas pelos próprios fungos. O principal polissacarídeo armazenado pelos fungos é o glicogénio que é também o polissacarídeo armazenado pelos animais.
As paredes celulares na maior parte dos fungos não são constituídas por celulose como as das algas e plantas, mas primariamente por um polissacarídeo denominado quitina, que é o mesmo que se encontra nas partes duras dos artrópodes. Nos oomicetos embora as paredes celulares sejam constituídas principalmente por moléculas de glicose estas não se ligam da mesma maneira que para formar a celulose.
Admite-se que o ancestral comum dos oomicetos é diferente do ancestral comum dos outros fungos.
Como referenciar: fisiologia dos fungos in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-04-04 19:09:54]. Disponível na Internet: