Florbela Queiroz

Atriz portuguesa de teatro e cinema, de nome completo Florbela de Carvalho Azevedo Queiroz de Sousa Matias, nascida a 10 de fevereiro de 1943, em Lisboa. Aos 13 anos, durante o liceu, frequentou o curso de dança clássica e teatro no Conservatório Nacional. Pouco tempo depois, Amélia Rey Colaço escolheu-a para um papel na peça As Bruxas de Salem, do Teatro Nacional, tendo passado ainda pela Companhia do Teatro da Trindade, dirigida por Francisco Ribeiro e, apenas com 16 anos, pela Companhia do Teatro Alegre, dirigida por Henrique Santana. O seu grande primeiro sucesso no teatro aconteceu com a peça de Henry Miller O Pecado Mora ao Lado, tendo ganho muitos prémios. Iniciou a sua carreira como atriz de cinema nos anos 50 com as longas-metragens O Noivo das Caldas (1956), Let's Discover Portugal (1959), Pão, Amor e Totobola (1964), A Canção da Saudade (1964), Os Gatos Negros (1964), Fado Corrido (1964), Sete Balas para Selma (1967) e Um Campista em Apuros (1967). Participou em mais de 20 peças de teatro de revista, das quais se destacam Bate o Pé (1961), Sol e Dó (1962), Vamos Contar Mentiras (1963) e Pr'a Frente Lisboa (1972) e ainda nas telenovelas Origens (1983) e Passerelle (1986), através da qual ganhou o prémio da "Casa da Imprensa". Após uma longa interrupção, surge em 1989 na série televisiva Pisca-Pisca, a que se seguiriam participações nas novelas Na Paz dos Anjos (1994) e Todo o Tempo do Mundo (1999) e nas séries Reformado e Mal Pago (1996), Médico de Família (1998) e Uma Avó dos Diabos (1999). Contam-se ainda breves participações como convidada nos programas Nós os Ricos (1996) e Polícias (1996).
Como referenciar: Florbela Queiroz in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-21 09:35:48]. Disponível na Internet: