Fonte do Pelicano

Conhecida por Fonte do Pelicano, esta fonte Joanina (1745-1756) situa-se ao centro da Praça do Município de Braga, tendo como pano de fundo o edifício da Câmara Municipal.
A Fonte do Pelicano foi mandada erguer pelo arcebispo D. José de Bragança entre 1745-1756. A fonte é composta por cinco corpos. O central mais elevado desenvolve-se a partir de um robusto pilar que sustém uma taça facetada, sobrepujada por um escudo ostentando as armas reais, terminado pelo chapéu arquiepiscopal. A pedra de armas é enquadrada lateralmente por dois anjos tocheiros e encimada por uma esfera armilar. A coroar este conjunto encontra-se um pelicano com dois filhotes que dão o nome à fonte. Os outros quatros elementos são de menores dimensões. Formam-se a partir de uma taça facetada que, ao centro, mostra um pequeno plinto sustentando uma bola com um menino, deitando água pela boca e, em dois deles, os meninos seguram dois pelicanos a deitar água pelo bico.
Este conjunto arquitetónico está enquadrado por um tanque de contorno mistilíneo, construído já no nosso século, em 1967, aquando da transferência da fonte para este local, da responsabilidade do arquiteto municipal Cortez Marques.
Não se conhece ao certo o primeiro local ocupado por esta fonte. Para alguns autores terá sido construída no antigo Paço Arquiepiscopal, passando mais tarde a figurar no Parque da Ponte, voltando novamente ao antigo paço, até ser instalada na Praça do Município.
Como referenciar: Fonte do Pelicano in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-19 06:29:49]. Disponível na Internet: