Francisco Coloane

Escritor chileno, de reconhecido talento, nascido a 19 de julho de 1910, em Quemchi, no Chile, e falecido a 5 de agosto de 2002. Filho de um capitão de barcos baleeiros e de uma proprietária rural, é conhecido essencialmente como escritor do mar e da literatura de viagens. Em parte, é a este escritor que se deve o conhecimento mais de perto de regiões pouco conhecidas do seu país.
Iniciou a sua atividade de escritor nos anos quarenta com a obra Cabo de Hornos (Cabo Hornos), que deu origem a um filme, e El último grumete de la Baquedano, ambos de 1941. Seguiram-se outros ainda na mesma época como, La Tierra del Fuego se apaga (Terra do Fogo, 1946), obra que também originou um filme. Em 1981 escreveu Rastros del guanaco blanco.
Pertencia, desde 1980, à Academia Chilena de la Lengua. Foi presidente, e várias vezes diretor, da Sociedade de Escritores do seu país. Participou em vários congressos de escritores e concursos literários no estrangeiro. As suas obras foram traduzidas em várias línguas, incluindo o português.
Ganhou o Premio de la Sociedad de Escritores, em 1957, e o Prémio Nacional de Literatura, do Chile, em 1944. Em 1996 foi distinguido Cavaleiro das Artes e das Letras pelo Ministério da Cultura francês.
Como referenciar: Francisco Coloane in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-19 00:42:25]. Disponível na Internet: