Francisco Nicholson

Ator, argumentista e dramaturgo português, nasceu em 1938 na cidade de Lisboa, onde faleceu a 12 de abril de 2016.

Começou a sua carreira de ator nos palcos lisboetas, embora só tenha conseguido alcançar alguma projeção quando protagonizou o programa televisivo Riso e Ritmo (1963), ao lado de Armando Cortez. Posteriormente, aventurou-se na escrita, assumindo a autoria da letra de algumas canções, entre as quais Oração, canção que representou Portugal no Festival da Eurovisão de 1964 e que foi interpretada por António Calvário.
Foi também presença constante em comédias e teatro de revista, participando em O Impostor-Geral (1965), Braço Direito Precisa-se (1966), e Desculpe Se o Matei (1967), bem como assumindo a autoria de títulos como Chiça, Este é o Bom Governo de Portugal (1980) e Paga as Favas (1981), peças levadas à cena no Teatro Adoque, que permitiram o lançamento de novos valores como António Feio, José Raposo e Maria Vieira.

Nicholson esteve também na conceção da primeira telenovela portuguesa, Vila Faia (1983), em que também participou como ator. No seu currículo conta ainda com a autoria das telenovelas Origens (1984), Ajuste de Contas (2000), Ganância (2001) e O Olhar da Serpente (2002) bem como da série humorística Canto Alegre (1988).
Como referenciar: Francisco Nicholson in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-01-20 11:28:02]. Disponível na Internet: