Franklin Dória

Escritor, político, orador e magistrado brasileiro, Franklin Américo de Menezes Dória, Barão de Loreto, nasceu a 12 de julho de 1836, na ilha dos Frades, em Itaparica, no Estado da Baía (Brasil).
Em 1859, concluiu o curso de Direito pela Faculdade do Recife, onde teve como colegas Gusmão Lobo e Joaquim Medeiros. Nesse ano, publicou o seu único livro de poesias, Enlevos, obra repleta de lirismo, na qual descreve as belezas da "ilha encantada" do poeta. A nível profissional, desempenhou o cargo de promotor, de delegado, de juiz e de advogado. Em 1863, foi eleito deputado pela Província da Baía, um ano depois, foi governador do Piauí, em 1866, governador do Maranhão e, em 1880, governador de Pernambuco. Foi também eleito, em 1872, para a Câmara Federal, sendo reeleito, em mandatos alternados até 1885. Foi ministro de Guerra, em 1881, e ministro do Império, em 1889. Em 1888, adquiriu o título de Barão de Loreto. Frankiln Dória foi ainda docente da cadeira de Literatura no Colégio Pedro II e pertenceu ao Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.
Da sua obra literária destaca-se Estudo sobre Luís José Junqueira Freire (1869), Evangelina (1874, tradução da obra de Longfellow), Discursos sobre Instrução (1877), Questões Judiciais (1881), Discurso e Poesia em Homenagem a Camões (1886), entre outras publicações.
Franklin Dória, membro fundador da Academia Brasileira de Letras, faleceu a 28 de outubro de 1906, no Rio de Janeiro.
Como referenciar: Franklin Dória in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-11-20 11:36:40]. Disponível na Internet: