Frei João Álvares

Nasceu no início do século XV em Torres Novas. Foi secretário de D. Fernando, filho de D. João I, e tabelião do Paço. Acompanhou o Infante D. Fernando quando este foi tomado como refém na frustrada tomada de Tânger, em 1437. Esteve com o Infante em Arzila e em Fez, regressando a Portugal em 1448, depois da morte de D. Fernando.
Em Portugal, entrou para a Ordem de S. Bento de Avis e para o serviço de D. Henrique. Este pede-lhe que escreva uma obra publicada em 1527, a Crónica do Infante D. Fernando.
Frei João Álvares, depois de se tornar abade comendatário do mosteiro de Paço de Sousa, fez também um conjunto de normas, aprovadas pelo Papa. Estas normas tinham como objetivo moralizar os costumes dos conventos e mosteiros. Chegou a Prior geral da Ordem de Avis.
Esteve durante um período de tempo na Flandres, na corte da irmã de D. Fernando, Duquesa da Borgonha, e foi a Roma em 1470. Faleceu em Portugal, por volta de 1490. Traduziu a Regra de S. Bento, o tratado De Imitatione Christi (que enviou de Roma para os seus confrades de Avis) e os Sermões aos Irmãos do Ermo.
Como referenciar: Porto Editora – Frei João Álvares na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-25 02:29:48]. Disponível em